Linha do tempo do automóvel

SÉCULO XIX

1769 – O engenheiro militar francês Nicholas Joseph Cugnot, por volta de 1769 construiu um veículo a vapor com três rodas. O objetivo deste era transportar material bélico e artilharias.

1784 – Joseph Watt construiu um veículo a vapor em 1784. Entretanto, o bólido ficou conhecido por causar o primeiro acidente automobilístico ao bater contra uma parede;

1802 – Richard Trevithic desenvolveu uma carruagem a vapor, que viajou de Cornwall para Londres, mas esta acabou destruída após seu próprio criador esquecer de apagar o fogo de sua caldeira;

1810 – A família Peugeot inicia as atividades da empresa de mesmo nome, entretanto ainda estava longe de produzir carros.

1865 – Armand Peugeot começa a trabalhar na empresa da família, mais tarde começaria a produzir carruagens para serem equipadas com motores a vapor.

1886 – Karl Benz (1844 – 1929) e Gotlieb Daimler (1834 – 1900), trabalhando independentemente, foram responsáveis pelos primeiros automóveis com motores de combustão interna a gasolina. O primeiro produziu e patenteou o Motorwagen, o segundo apresentou um protótipo de automóvel baseado em uma carruagem. Karl Benz é considerado o criador do automóvel.

1889 – Após contato com Gotlieb Daimler e Émile Levassor, Armand Peugeot inicia com a empresa da família a produção de carros Peugeot, sob o emblema Peugeot Frères.

1895 – A Peugeot se torna a primeira marca a utilizar pneus pneumáticos ao invés da rígida borracha sólida, além disso também se tornou pioneira na transmissão de marcha deslizante.

1896 – A Wolseley Sheep Shearing Machine Company lança seu primeiro carro, o Wolseley Autocar 1, projetado por Herbert Austin, que futuramente abriria a sua própria montadora, a Austin;

A Peugeot rompe com a Daimler e começa a fabricar seus próprios motores. Armand Peugeot se desliga da companhia familiar para abrir sua própria industria, no caso a Peugeot fábrica de automóveis.

1898 – Louis Renault construíu um quadriciclo na oficina da propriedade de sua família, em Billancourt, Paris. O pequeno automóvel caiu nas graças de algumas pessoas, uma grande demanda pelo modelo fez Louis fabricar 71 réplicas até o fim de 1899.

1899 – O La Jamais Contente é o primeiro carro a atingir os 100 Km/h, aliás ele superou essa marca ao chegar 106 Km/h tornando-se o carro mais rápido do mundo, na sua época.

SÉCULO XX

1901 – Paul Daimler e o engenheiro Willhem Maybach projetaram e fabricaram um carro que se tornou padrão para muitas outras marcas na Europa. Foi este tal carro que ganhou o nome conhecido por muitos atualmente, Mercedes. Mercedes produzia 35 cv, e foi uma revolução tal potência. O nome surgi de uum empresário austro-húngaro, que adquiria 36 exemplares do Mercedes em troca do direito exclusivo de vendas do mesmo em diversos países. Então, este decidiu colocar o nome do veículo o mesmo de sua filha, Mercedes.

1902 – Henry Martyn Leland, foi um especialista em equipamentos bélicos e sua carreira foi baseada na companhia criada por ele e o inglês Robert Fauconer. Juntos, projetaram um motor monocilíndrico que seria utilizado em veículos da marca Oldsmobile. Entretanto, o negocio não vingou, e Leland, também atuando como consultor da Henry Ford Company, colocou seu motor em um chassi Ford, criando então seu automóvel, o Model A. Após Henry Ford deixar a companhia, nascia uma nova marca, a Cadillac. O nome é uma homenagem ao francês homonimo que fundou a cidade de Detroit no século XVIII. O Cadillac Model A foi apresentado no Salão do Automóvel de Nova Iorque em 1903;

1903 – Henry Ford abriu sua própria empresa automobilistica, a Ford Motor Company, na qual o primeiro carro produzido foi o Model A de 2 cilindros.

1904 – Frederick Henry Royce construiu seu primeiro carro. Paralelamente, Stewart Rolls abria uma distribuidora e oficina mecânica em Londres. Em comum, os dois sujeitos conheciam Henry Edmunds, amigo de Rolls e diretor de uma empresa de Royce. Tal sujeito apresentou Rolls a Royce e sua criação. Nascia então uma parceria na qual o veículo criado seria fabricado em série e vendido sob a marca Rolls Royce;

1905 – Herbert Austin, após adquirir o aporte necessário, abre a Austin Motor Company, produzindo o modelo 20hp;

Ford T de 1908.

1908 – A industria automobilística se estabelecia de fato. Nos EUA, Henry Ford e seu Model T chegavam ao mercado, além dos primeiros passos do grupo GMC. Enquanto na Europa diversas companhias como Daimler, Opel, Renault e Peugeot estavam sendo reconhecidas como fabricantes de automóveis.

Em seu lançamento, o Ford Model T era o carro mais avançado na sua faixa de preço, U$850,00.

1909 – A Cadillac era vendida para William Durant, em outras palavras, ao grupo General Motors (GM). Henry Leland continuou como presidente da Cadillac até 1917, quando finalmente rompeu com o grupo GM. Tempos depois, Leland, criara outra marca, a Lincoln Motor Company.

A Brush Motor Car Company lança o Brush Runabout, o veículo foi equipado com um sistema um sistema de amortecimento ajustável, sendo então considerado o primeiro automóvel equipado com suspensão ajustável da história.

1910 – Quatro anos antes, o francês, industrial e fabricante de carros, Alexandre Darracq montou uma fábrica em Milão, Itália. A empreitada não rendeu e o Alexandre passou o negócio para um consórcio de investidores italianos. Então é criada a Anonima Lombarda Fabbrica Automobili, ou Alfa. Seu primeiro carro foi o esportivo 24HP, com motor de 4 cilindros e 4.082 cm3 projetado por Giuseppe Merosi.

August Horch, um engenheiro e industrial alemão, funda a Audi. Curiosamente, Horch já havia fundando outra marca antes, a Horch em 1901. Entretanto, acabou por deixa-la, em 1909, devido a sua diferente visão em relação aos demais diretores da companhia.

1911 – Após conhecer Louis Chevrolet 3 anos antes, William C. Durant juntamente com Chevrolet fudaram a Chevrolet Motor Cars Company. Seu primeiro automóvel foi um veículo de 5 assentos, motor de 4,9L e 6 cilindros.

Ray Harroun vence as 500 Milhas de Indianápolis, mas a curiosidade em cima deste fato, foi a utilização de um espelho retrovisor, instalado pelo próprio piloto.

1912 – Charles Kettering já trabalhava em um novo sistema de ignição. Mas foi em 1912 que tal sistema substituiu o sistema Trembler coil. O sistema de Kettering baseava-se em um came com contatos elétricos, no qual o came interrompia o circuito primário e resultava na corrente produzida para gerar a faísca na vela de ignição. Embora não tenha nada documentado comprovando tal fato, o sistema de Kettering é basicamente o sistema visto no distribuidor e platinado, que permaneceu nos automóveis até o fim dos anos 90.

1913 – Perspicaz que era, Henry Ford observou diversos processos de fabricação como o processo de produção de carne, armas e outras diferentes produtos e seus processo de fabricação. Aos poucos, o Model T teve seu processo de produção alterado. Então, após anos de observação e pequenas melhorias nos processos de manufatura de peças do Model T, o respectivo modelo tornou-se um veículo de produção em linha e em série, sendo 1913 o ano que este saía de sua linha de montagem a cada 3 horas.

Louis Renault, já como majoritário da empresa homonima, produziu mais 10.000 carros e veículos comercias, número que colocava a Renault como maior fabricante de automóveis da França.

Com ideais opostos, a parceria entre William C. Durant e Louis Chevrolet chegava ao fim. Os dois não se entenderam nos rumos que empresa tomaria, pois Durant queria focar em projetos de veículos para vendas em massa, enquanto Chevrolet gostaria que veículos de alto desempenho fossem o rumo da Chevrolet. William então, comprou a parte de Louis Chevrolet e assumiu controle total da marca. Tempos depois, William comprou a marca GM, grupo no qual pertenceu até ser expulso anos depois de conhecer Louis Chevrolet.

Karl Rapp abriu uma fábrica de motores de avião na Alemanha, mais tarde o fundador deixou a fábrica e foi quando esta tornou-se a Bayerische Motoren Werke, ou simplesmente BMW;

Robert Bamford e Lionel Martin construíram seu primeiro carro, um esportivo com chassi de Isotta Fraschini e motor 1,4 litro da Coventry-Simplex. Robert e Lionel o inscreveu em diversas competições, mas o pequeno e anônimo carro se destacou na subida de montanha de Aston Clinton, em 1914. Por conta disso, o anônimo carro se tornou Aston Martin;

A Audi começa a utilizar luzes elétricas e motores de partida em seus carros.

A Peugeot lança o Type BP-1, projetado por nada mais nada menos que Ettore Bugatti.

A Peugeot vence as 500 Milhas de Indianápolis com o Peugeot 7,6l.

1914 – James Scripps Booth funda Scripps-Booth, que produzia o Model C, um automóvel bastante luxuoso. Sua inovação era alguns comandos elétricos, como buzina, partida elétrica por botão e travas elétricas. Esta última foi a primeira vez a ser utilizada na história do automóvel, depois dele, a Packard resgatou o sistema em 1955.

1915 – A Alfa passa a ter a participação do empresário Nicola Romeo, ainda no período da 1 Guerra Mundial.

1916 – A Cadillac lança o Type 53, este foi primeiro carro a exibir a configuração de pedais que, atualmente, é padrão, embragem a esquerda, freio no centro e acelerador a direita.

1919 – Após produzir engrenagens de dentes helicoidais, e munição para o exército francês no período da 1 guerra mundial, André Citröen ficou rico e iniciou sua empreitada em fabricar automóveis, com o Type A 10CV.
A presidência da Ford Motor Company passava para Edsel Ford, filho de Henry Ford.

1920 – Robert Bamford deixa a Aston Martin, e Lionel Martin seguiu a frente da marca que se tornaria um sucessos anos depois;

A Alfa passa a se chamar Alfa-Romeo, e o primeiro produto da nova marca é o motor G1 de 6,3l.

August Horch desliga-se da Audi, esta passou a ser gerida por um grupo de diretores.

1922 – Dois entusiastas por motocicletas, William Lyons e William Walmsley, fundam a Swallow Sidecar Company, que fabricava motocicletas com assentos laterais. Esta pequena fábrica é a raiz da luxuosa Jaguar.

A Ford comprou a marca Linconl, criada pelo consultor Henry Leland, que já havia trabalhado com Henry Ford na antiga Henry Ford Motor Company;

A Austin lança o primeiro Austin Seven, um carro econômico e barato;

1924 – A Chevrolet montou o primeiro veículo da marca fora dos EUA, um caminhão em uma fábrica em Copenhague, Suíça.

1925 – Walter P. Chrysler fundou a Chrysler Motor Corporation.

1926 – Com a situação econômica da Alemanha no vermelho, as duas principais companhias automobilísticas decidiram unir forças, ao invés de sucumbir a falência. Então a Daimler-Mercedes e a Benz determinaram que trabalhariam em conjunto na manufatura e vendas de seus veículos e novos projetos. Nascia então a Daimler-Benz AG, e seus carros ostentavam a marca Mercedes-Benz, com o emblema constiuído pela coroa de louros da Benz e a estrela de três pontas da Mercedes.

1927 – A Chevrolet atingia a marca de 1 milhão de veículos vendidos, dessa forma ultrapassou a gigante Ford e tornou-se a maior fabricante de automóveis do mundo.

A Peugeot compra as marcas Ballanger e De Dion, expandindo-se ainda mais no mercado automobilístico.

1928 – Chrysler Motor Corporation compra a Dodge Brothers, numa das maiores transações da história do automóvel. A CMC passava pertencer as três grandes;

Chrysler Motor Corporation funda duas marcas subsidiárias para atender a mercados de menor poder aquisitivo, a Plymouth e De Soto.

Jorgen S. Rasmussen, um engenheiro dinamarquês e fabricante de motocicletas DKW, adquire parte da Audi para tornar real seu projeto de automóvel.

A Peugeot lança do 201, um veículo simples feito para ser barato, mas que ficou marcado por ser o primeiro a iniciar o padrão de nomenclatura da marca, três números sendo um zero no meio.

1929 – A BMW entra para o ramo automobilístico ao comprar a marca Dixi, que fabricava o esportivo Austin Seven sob lincensa em Eisenach.

A Toyoda vende sua patente de produção de tear, abrindo mão desse ramo de negócio, e passa a investir na industria automobilística.

Enzo Ferrari funda a Scuderia Ferrari, de começo a marca trabalhava em competições automobilísticas, tornando-se equipe da Alfa-Romeu.

1930 – O teste de colisão do automóvel surgia. A General Motors aparecia com um teste, no mínimo inusitado, no qual um motorista guiava um automóvel morro abaixo e em direção a uma parede, mas pulando fora do veículo nos últimos momentos. Tal esforço não tinha tanto retorno, pois não havia, ainda, dispositivos para diagnóstico do quão ruim seriam os danos para o motorista. A análise era apenas material.
O portifólio de motores da Cadillac já englobava motores V8, V12 e V16 de alta cilindrada.

A Rolls Royce comprou a marca britânica de carros de luxo Bentley, nos quais passaram a utilizar chassis Rolls Royce e motores Bentley.

1931 – Um dispositivo de teste para pneus, mais conhecido como dinamômetro, foi desenvolvido. Este possibilitou um grande salto nas medições de propriedas mecânicas necessárias dos pneus, que anteriormente não era possível. Isso foi passo determinante para evolução da dinâmica veícular.

A Swallow Sidecar Company expandiu seu portifólio, passou a fabricar carros de criação própria, nasciam assim, os modelos SS1 e SS2.

Esboço do que seria o Volkswagen Sedan.

1932 – A Ford projeta o primeiro modelo voltado para o mercado europeu, o Ford Model Y.

Adolf Hitler esboça o que seria o automóvel popular proposto a Volkswagen, nascia a ideia do Volkswagen Sedan, ou Fusca.

A Audi, Horch, DKW e Wanderer formam o conglomerado Auto Union, sendo a DKW a responsável pelo veículos de baixo custo, a Audi e Wanderer pelos carros da classe média e a Horch pelo modelos de luxo.

1934 – William Walsmsley se desligava da Swallow Sidecar Company, e esta passava a se chamar SS Cars. No ano seguinte, a SS Cars lançava seu primeiro esportivo, o SS Jaguar 90 e logo após chegava o SS Jaguar 100, também um ano após o antecessor. Nasciam então os primeiros veículos a carregarem o nome da famosa marca britânica. No período pós segunda guerra, a SS Cars mudava de novamente, retirando o SS e adotando permanentemente o nome Jaguar.

A Citröen inovou com o lançamento do Citröen 7CV, que tinha tração dianteira e chassi e carroceria integrados. Configuração padrão dos carros de massa atuais, powertrain dianteiro e estrutura monobloco. Entretanto, isso não impediu que a Citröen evitasse a falência e fosse comprada pela Michelin, empresa na qual foi sua maior credora.

A Peugeot lança o 402 Eclipse Décapotable, o carro torna-se o primeiro conversível com teto rígido elétrico.

1936 – A Toyoda coloca em produção seu modelo AA, que era um modelo derivado de projetos americanos.

1937 – A Toyoda passa a se chamar Toyota Motor Company Limited.

Após fundar a Suzuki Loom Works em 1909, Michio Suzuki decide investir em um projeto de automóvel da marca.

1938 – Ferdinand Porsche e Erwin Komenda entregam os primeiros protótipos do Fusca antes da 2 Guerra Mundial.

A Buick inova com o Y-Job, um carro que nunca foi apresentado em salão do automóvel algum e tão pouco produzido em massa, apenas um foi fabricado. Contudo, o Y-Job serviu para definir as tendências de design nos demais véiculos da marca, dessa forma o Y-Job é considerado o primeiro carro conceito da história do automóvel.

1939 – A Packard começa a oferecer o ar condicionado como opcional no One-Eighty (180).

1940 – André Citröen falece, mas o legado de sua companhia continua, bem como sua característica criativa e inovadora nos modelos DS e XM, que não nos deixam mentir;

Walter P. Chrysler falece deixando um grande legado e uma grande marca, hoje pertecente ao Grupo Fiat.

O último Audi pré-guerra é fabricado, após isso a empresa se dedicou a fazer veículos militares. O nome Audi deixou de ser visto e o conglomerado Auto Union, após a divisão Alemanha, ficou no lado oriental sob comando da União Soviética. Não só a Audi, mas Horch e Wanderer deixaram o mercado.

Enzo Ferrari se desliga da Alfa-Rome, mas acaba, por questões contratuais, tendo alterar o nome da sua equipe para Auto Avio Costruzione.

1941 – Na pobreza, em 6 de Junho morre Louis Chevrolet, o ex-piloto foi enterrado perto da lendária pista de Indianápolis. Contudo, o legado da marca que leva seu nome, está (e continua) muito bem vivo;

Herbert Austin criador da Austin Motor Company falece;

1943 – Henry Ford volta a presidência de sua empresa após a morte de seu filho, Edsel Ford, de câncer aos 49 anos.

1944 – Após a libertação de Paris do domínio alemão, Louis Renault foi preso sob a acusação de colaboração com os alemães. Estes invadiram a fábrica depois de dominar a capital, Paris. Tratado como um traídor e criminoso pelo governo francês, Louis Renault morreu 3 meses depois de ser preso. Entretanto, seu legado e trabalho árduo continua sob uma das maiores fabricantes de carros da França.

1945 – A Renault passa a ser uma empresa estatal.

O filho de Edsel Ford, Henry Ford II tornou-se o novo presidente da Ford Motor Company.

A Volkswagen, sob domínio dos EUA, e logo depois, da Inglaterra passa a ser comandada pelo major Ivan Hirst, que reorganizou a fabrica e colocou o Fusca em produção. As forças britânicas encomendaram 20.000 carros.

1947 – Henry Ford falece aos 83 anos;

David Brown, um empresário do ramo industrial, compra a Aston Martin e a Lagonda, o Aston Martin passava a ter chassi Aston Martin e motor Lagonda, nascendo o Aston Martin DB2;

A Austin Motor Company alcançava a marca de 1.000.000 da carros fabricados;

A Volkswagen inicia a exportação de seus carros.

A Ferrari lança seu primeiro carro de rua, o 125 Spider.

Primeira picape Ford da linha F-Series.

1948 – Iniciava, com a Cadillac, a moda dos carros americanos luxosos com traseira rabo de peixe, desenhado pelos designers Bill Mitchell e Harley Earl.

A Ford lança a família de veículos utilitários F-Series, um dos seus projetos mais lucrativos. As picapes da série F são símbolos de projetos bem sucedidos, continuam em linha até os dias atuais.

No London Motor Show, a Jaguar estreou o XK 120, um esportivo de alto desempenho, mas a um preço convidativo se comparado a seus concorrentes da época.

A Citröen lançou o Citröen 2CV, um dos projetos mais longevos da companhia, vendeu (e bem) durante 42 anos. Era um carro de mecânica simples e barata, mas rude e robusta.

1949 – A Nash disponibiliza em seus veículos o opcional de cintos de segurança, a primeira marca a disponibilizar tal equipamento de segurança.

1950 – A Chevrolet colocava nos seus carros a opção de cambio automático pela primeira vez.

A BMW entrava no segmento de carros de luxo com o pouco lucrativo modelo 501.

A Alfa-Romeo lança o 1900, o primeiro Alfa-Romeo com carroceria monobloco.

Nino Farina vence o Campeonato Mundial de Fórmula 1 guiando um Alfa-Romeo 158, o segundo título viria no ano seguinte com Juan Manuel Fangio, a bordo do 159.

A Volkswagen lança o modelo Type 2, mais conhecido no Brasil como Kombi.

A Porsche, sob o comando de Ferdinand Porsche e seu filho Ferry, dá os primeiros passos como fabricante de carros ao lançar o maravilhoso 356.

1951 – A Chrysler Motor Corporation introduz o primeiro sistema de direção hidráulica, e também o motor tido como marca registrada da empresa, o primeiro motor V8 Firepower de 330 pol3 (5,4 litros), mais conhecido como HEMI, devido ao formato da câmara de combustão ser hemisférica;

A Toyota lança o Land Cruiser (mais conhecido no Brasil como Bandeirante), o Land Cruiser vendeu mais de 6 milhões no mundo todo até o fim de 2008.

A Ferrari, com José Froilán González, vence seu primeiro GP no campeonato de Fórmula 1, o GP da Grã-Bretanha. Depois disso a Scuderia viria a conquistar dois títulos seguidos com Alberto Ascari.

A Chrysler lança o primeiro sistema de direção hidráulica para veículos de produção, o Hydraguide passou a equipar o modelo Imperial.

Austin Healey.

1952 – A Austin Motor Company alcançava a marca de 2.000.000 de carros fabricados;

A Nuffield Organization, que produzia carros Morris, funde-se a Austin Motor Company para formar a British Motor Corporation (BMC);

Donald Healey firma uma joint venture com British Motor Corporation, e dela nascem o esportivo Austin-Healey 100/4, a parceria durou 20 anos.

O cupê esportivo Goliath GP700 passaria despercebido, se não fosse o primeiro carro equipado com injeção mecânica de combustível.

1953 – A Chevrolet lança o Chevrolet Corvette, um esportivo de carroceria de fibra de vidro e dois lugares, foi equipado inicialmente com um motor 6 cilindros. Entretanto, o carro só fez sucesso mesmo, quando ganhou motor V8 1955.

1954 – A Porsche lança o 356 Speedster, uma versão conversível e mais leve do 356, o carro tornou-se sucesso no mundo todo, mas principalmente nos EUA.

A Suzuki passa a se chamar Suzuki Motor Co., e produz a sua primeira motocicleta, a Colleda.

A Alfa-Romeo lança o Giulietta Sprint, com motor de 1.300 cm3 e tendo como principal característica, ser de alumínio e possuir duplo comando de válvulas no cabeçote.

A Mercedes lança o W196, seu carro de corrida para o mundial de Fórmula 1, conhecido por ser o primeiro carro de corrida com injeção de combustível. Mais tarde, no mesmo ano, o sistema estrea no 300 SL “asas de gaivota”, tornando-se o primeiro esportivo equipado com injeção de combustível, mecânica contudo.

1955 – A Chevrolet lançava em um de seus modelos o motor V8 que atualmente é conhecido como “Small-Block” (Bloco Pequeno), inicialmente com 265 pol3 e 180 hp.

Nas corridas, uma tragédia, Pierre Levegh após se envolver em uma colisão, pedaços do veículo, um Mercedes-Benz 300SLR foram arremessados contra a multidão durante as 24 Horas de Le Mans. Por outro lado, nesse mesmo ano, Juan Manuel Fangio levava a mesma marca ao título mundial de Fórmula 1 com o W154;

A BMW comprou os direitos do compacto Isetta, colocou motor BMW e o re-lançou;

A Citröen lança o revolucionário DS, que muito embora dividisse opiniões, era tecnicamente muito avançado ao implantar o sistema de suspensão hidropneumática e freios a disco nas semi-árvores. O DS tinha motor dianteiro longitudinal com câmaras de combustão hemisféricas com cerca de 110cv e tração dianteira;
A Aston Martin compra a coachbuilder (encarroçadora) Tickford, a aquisição representou o início de modelos Aston Martin ainda mais luxuosos;

A Suzuki lança seu primeiro carro, o Suzulight SF, um carro K (denominação de veículos compactos que seguem regulamentação kei jidosha) utilitário que tinha motor de 2 cilindros, 366 cm3 e que funcionava com ciclo otto de 2 tempos.

A Packard lança mais uma geração do One-Eighty, o Packard Custom Super Eight One-Eighty, dessa vez equipado com um inovado sistema de vidros elétricos. Tal carro tornou-se o primeiro a ter vidros elétricos na história do automóvel.

Renault Dauphine.

1956 – A Renault lançava um de seus automóveis de maior sucesso, o Renault Dauphine, com motor 845cm3. O veículo se tornou tão popular, que obteve uma marca expressiva em um mercado totalmente averso a esse tipo de veículo, 200.000 Dauphines foram vendidos só nos EUA. O Dauphine também foi vendido sob licensa em outros países, o Brasil foi um destes, no qual o carismático renaul fou vendido como nome de Renault Gordini;

O Romi Isetta tornou-se o primeiro carro a ser fabricado no Brasil.

1957 – A Toyota entra no mercado americano com o Toyota Crown.

1958 – A Daimler-Benz adquire grande parte da Auto-Union e DKW.

A Peugeot lança, desenhado por Pininfarina, o 504, que é tido com um dos carros mais peculiares e versateis da marca. Há quem diga, também, que ele foi o desbravador do deserto, ao invés de Land Rover e Jeep.

1959 – A British Motor Corporation lança o seu carro de maior sucesso, o Mini, projetado por Alec Issigonis, e fabricado tanto por Morris quanto pela Austin. O Mini foi uma revolução de desing e de técnica, equipado com motor dianteiro transversal e caixa de marchas do tipo compacta (leia mais), o Mini tinha tração dianteira, era econômico e barato. Sua configuração de powertrain e chassi mostrou-se ser o futuro e até hoje é utilizada. O carro também ficou famoso por ser o veículo do personagem Mr. Bean;

A Suzuki substitui o Suzulight SF pelo TL, mais moderno.

A Volvo lança o PV544, o destaque desse carro é ser equipado, de série, com cintos de segurança de três pontos. O item foi projetado por Nils Bohlin.

1960 – A Chevrolet lançou o polêmico Chevrolet Corvair. O veículo era um cupê de motor traseiro e suspensão traseira do tipo eixo oscilante. Contudo, o veículo colecionou processos judiciais que constetavam sua segurança, devido a instabilidade direcional provocada por sua configuração de powertrain. Além disso, muitos consumidores alegavam que a Chevrolet havia colocado o veículo a venda sabendo dos defeitos. Advogados, engenheiros e entusiastas se dividem em relação as acusações sofridas pela empresa, mas o fato é que o Corvair foi uma das motivações para a melhoria da segurança veicular.

Jaguar E-Type.

1961 – A Jaguar lançou o modelo E-Type, um veículo esportivo baseado nos vencedores carros de corridas C e D-Type. O E-Type é até hoje considerado um dos carros mais bonitos do mundo, tido como referência de beleza automobilística.

1962 – A GM desenvolvia um trenó de alta velocidade destinado aos testes de impactos de veículo. Este foi um importante passo para o estudo dos impactos sofridos nos automóveis, pois com o trenó guiando os carros em direção ao obstáculo, e não um motorista de testes, foi possível realizar simulações mais precisas e menos arriscadas. Nesse período a análise começava a sair apenas dos danos do veículo para o danos que o motorista poderia ter.

A Porsche obtém sua primeira vitória na F1, como construtora de motor.

A Suzuki lança o Fronte, versão de passeio do TL.

1963 – A Citröen comprou a marca Panhard, mas parou de produzir seus carros em 1968.

Começa as negociações entre Ford e Ferrari que definiam a compra da marca italiana pela gigante americana. Contudo, as negociações não vingaram e desse cenário nascia uma dor de cotovelo chamada Ford GT40;

A Chrylser Motor Corporation lança o primeiro Pony Car da história, o Plymouth Barracuda.

A Porsche lança o 911, carro que se tornou o ícone da marca, teve a missão de substituir o bem sucedido 356.

1964 – O primeiro Ford GT40, de número de série GT101, é revelado na Inglaterra;

A Aston Martin lança o Aston Martin DB5, carro que seria a evolução do DB4, um cupê esportivo e de luxo. Esse carro ganhou fama quando foi escolhido para ser o carro do agente secreto James Bond, a primeira aparição do DB5 foi em 007 Contra Goldfinger;

A moda do buggy começa, o californiano Bruce Meyers vence a competição Baja 1000, no México, com o buggy Manx, projetado por ele mesmo. O carro era, basicamente, um chassi de fusca com carroceria de fibra de vidro em cima. O pequeno buggy bateu recordes e venceu diversos ralis. As versões de rua venderam 6.000 unidades de 1964 até 1971.

1965 – A Volkswagen compra a Auto-Union da Daimler-Benz, o que incluia as marcas Audi, Horch, DKW e Wanderer.

A Peugeot lança o 204, o primeiro veículo da marca com tração dianteira e, também, o que inicio o padrão de powertrain adotado pela marca.

1966 – Abaladas por problemas financeiros desde o início da década de 60, a Jaguar se fundiu a BMC para formar o British Motor Holdings.

Com o Ford GT40, a Ford finalmente vence as 24 Horas de Le Mans. O carro vencedor foi pilotado por Bruce Mclaren e Chris Amon, enquanto o segundo lugar, outro GT40, foi pilotado por Ken Miles e Denis Hulme.

A Alfa-Romeo lança o mais icônico de seus carros, o Alfa-Romeo Spider, o pequeno roadster teve vida longa e permaneceu no mercado até 1993.

A Toyota lança o Corolla e se torna o carro mais vendido do Japão, até 2009 o Toyota Corolla antigia 25 milhões de unidades vendidas no mundo todo.

A Jensen lança o Jensen FF, uma variação do Interceptor, porém com sistema de tração integral. Assim, o FF tornou-se o primeiro carro de passeio com tração integral.

1967 – A Citröen começa uma parceria com a NSU, um marca de veículos que tinha como característica a utilização de motores rotativos (Wankel). O foco da parceria era o desenvolvimento desse tipo de motor.

Com a vitória de Jim Clark no GP da Holanda de Fórmula em 1967, a Ford iniciava com vitória seu projeto de motor com a Cosworth na F1. O motor Cosworth DFV V8 de 3.000 cm3 venceu 10 de 16 campeonatos entre os anos 1967 e 1983, ajudando a pilotos como Jackie Sterwart e Emerson Fittipaldi a conquistarem seus títulos.

A Toyota compra a japonesa Daihatsu.

1968 – Entrava em vigor, no Estados Unidos, a nova legislação para segurança veicular, que continha os requisitos a serem seguidos com relação a segurança pré e pós colisões.

British Motor Company fundiu-se ao grupo Leyland para finalmente formar o British Leyland, no qual a Jaguar passou a fazer parte. Entretanto, alguns anos depois, o grupo foi estatisado e a qualidade dos carros sofreu uma queda.

A Citröen realizou a mau sucedida compra da italiana Maserati, e teve de ser ajudada pelo governo francês tamanho os prejuízos dos projetos mau sucedidos.

A Volkswagen lança o Type 3 (1600 TL/E) com motor equipado com sistema de injeção eletrônica Bosch, foi o primeiro carro de produção a ter tal sistema.

1969 – A Volkswagen compra a NSU, ocorre a fusão de Audi e NSU formando a Audi NSU Auto Union AG. A Volkswagen lança o sedã da marca NSU, mas renomeado para Volkswagen K70.

A Fiat adquire 50% de participações nas ações da Ferrari.

Ford Pinto.

1970 – A Ford lança o subcompacto Ford Pinto, e este torna-se um dos mais populares do anos 70, até que misteriosos casos do respectivo modelo incendiados após colisões na traseira vieram a tona. Recall do Ford Pinto foi um ponto negativo na história da marca, pois foi descoberto através de um memorando que a Ford já sabia do problema e dos custos para reparar cada veículo da linha de montagem, e que a mesma comparou aos custos para idenizar as pessoas que sofressem acidentes com o veículo percebendo que estes eram menores do que reparar cada veículo fabricado. O Ford Pinto saia de linha em 1980.

A Toyota lança o cupê Celica, anos depois o esportivo tornou-se reconhecido pelo seu desempenho no WRC, ganhando os títulos de 1993 e 1994.

A Porsche consegue sua primeira vitória nas 24 Horas de Le Mans, com o veloz e perigoso 917 K, guiado por Hans Herrman e Richard Attwood.

A Suzuki compra a Hope Motor e lança o seu veículo HopeStar, renomeado de Suzuki LJ10. Foi o primeiro de uma linha carros 4×4 compactos, configuração que viraria seu know-how.

1971 – Após grandes dificuldades financeiras, a Rolls Royce passava a ser propriedade do governo. Entretanto, a divisão automobilística foi separada da empresa original, que também fabricava (e ainda fabrica) motores para aviões. Nascia então uma nova empresa, a Rolls Royce Motors;

A Alfa-Romeo, lança o Alfasud, um compacto de sucesso da marca italiana. Foi fabricado em Nápole e teve até competição monomarca própria.

A Lamborghini apresenta, ainda como conceito, o Lamborghini Countach.

1972 – David Brown vende a Aston Martin para a Company Developments.

A Toyota torna-se a terceira maior montadora do mundo.

1973 – A Porsche conquista de forma avassaladora o campeonato americano Can-Am, com o Porsche 917/30 KL guiado por Mark Donohue. Este Porsche é tido como Magnu-opus dos carros de corrida, pois produzia cerca de 1100 bHp, potência que até então permanece como a maior já produzida por um carro de corrida.

1974 – A Peugeot comprou 38,2% das ações da Citröen, a compra significou o fim da autonomia e inventividade da marca em suas decisões e carros. Dois anos depois a Peugeot ampliou seu domínio sobre a Citröen, subindo sua participação nas ações para 90%.

A Volkswagen lança o Scirocco e Golf, era o começo do fim do Fusca, já obsoleto perante os rivais.

A Lamborghini lança o Countach LP400, um supercarro com design inovador assinado pelo estúdio Bertone. O carro era um cupê com motor V12 de 3.929 cm3 posicionado na longitudinal, entre o eixo traseiro e habitáculo. O Countach foi o primeiro carro de rua e de alto desempenho a utilizar com design em forma de cunha.

1975 – A Volkswagen lança o compacto Polo e a versão GTI do já lançado Golf. A marca então, já dispunha de produtos suficientes para substituir o Fusca.

A Porsche lança a versão que se tornaria o topo de linha do 911, o 911 Turbo.

1978 – Lee Iacocca, até então presidente da Ford, é contratado pela Chrysler Motor Corporation com a dura missão tirar a empresa das dificuldades financeiras.

A produção do Volkswagen Type 1 (Fusca), é encerrada na Alemanha. O carro continuou a ser fabricado no México e no Brasil.

1979 – A BMW inicia a produção, limitada contudo, de seu primeiro supercarro, o M1.

A Ferrari conquista o título mundial com Jody Schekter, seria o último título até a era Michael Schumacher.

1980 – Um companhia britânica de engenharia chamada Vickers comprou a Rolls Royce Motors.

Fim da produção do Volkswagen Type 1 Cabriolet, na Alemanha.

A Audi lança o Audi Quattro, um cupê com motor de 5 cilindros turbinado e com tração integral. O carro tornou-se vitorioso no Mundial de Rali de 1982 a 1984, foi pontapé inicial da tecnologia quattro de tração integral. Este carro e a tecnologia quattro foram responsáveis por muitas vitórias no Trans Am e no Pikes Peak International Hill Clim.

DMC Delorean.

1981 – A BMW entra para campeonato mundial de Fórmula 1 fornecendo motores para equipe Brabham. Mais tarde, em 1983, esse motor ajudou Nelson Piquet a conseguir o título mundial de pilotos;

John Zachary Delorean começa a produção do esportivo homonimo, DeLorean. O carro possuia chassi tipo espinha dorsal e motor V6 Renault posicionado na traseira. Contudo, o projeto não se saiu como deveria, o carro só ganhou fama quando estreou no filme Back to the future (1985).

A Suzuki lança sua nova geração de veículos 4×4, a série SJ. Os veículos foram exportados para o EUA e Austrália, onde eram vendidos sob as marcas Chevrolet e Holden. Também foram fábricados sob licensa na Espanha e na Índia.

A General Motor compra 5,2% de participação da Suzuki Motor Co. Foi a partir deste momento que os Suzukis passaram a vender nos EUA sob a marca Chevrolet.

A McLaren colocava no grid da Fórmula 1 o MP4/1, pela primeira vez um carro com monocoque inteiramente de fibra de carbono. O carro foi projetado pelo engenheiro John Barnard.

1982 – O grupo British Leyland muda de nome, e passava a se chamar Austin Rover, sendo a Austin a marca principal, a Rover a divisão de luxo e as versões esportivas de ambas levavão a marca MG.

A Toyota lança o MR2, um esportivo de motor central 2.0l com versões turbo e NA.

1983 – A Peugeot lança o hatch compacto 205, mas o carro ficou conhecido mesmo após entrar no mundial de rali, neste certame o 205 possuia motor com turbo e sistema de tração nas quatro rodas. A primeira vitória veio 1984 e os títulos mundiais em 1985 e 1986.

A Porsche retorna a Fórmula 1 como fornecedora de motores para a McLaren, os TAG-Porsche ajudaram a Alain Prost e Niki Lauda disputarem o título mundial.

1984 – A Porsche, juntamente com a McLaren, ajudam Niki Lauda a vencer o campeonato mundial de Fórmula 1 por 0,5 pontos em cima de Alain Prost.

1985 – A Audi vence a competição Pikes Peak International Hill Climb com o Audi Sport Quattro S1, pelas mãos da pilota Michèle Mouton.

1986 – Abalada por problemas financeiros, a Alfa-Romeo é comprada pela Fiat.

A Porsche lança o moderno 959, uma veículos muito semelhante ao 911, também com motor boxer, mas dois turbos e sistema de tração nas quatro rodas. Apenas 200 unidades foram vendidas até o modelo sair de linhas 1989.

A Buick lança o Riviera, que seria mais um carro americano dos anos 80, a não pelo seu computador de bordo. Este trazia o recurso Touchscreen, no qual os comandos da tela eram acessados por toque. O computador controlava funções básicas como ar condicionado, relógio, trava de portas e informações a cerca do funcionamento do veículo.

1987 – A Ford compra a marca britânica de carros de luxo Aston Martin;

A Chrysler Motor Corporation compra a marca americana American Motors Corporation (AMC), a transação também deu a CMC a marca Jeep;

A Ferrari, em comemoração as 40 anos da marca, lança o F40. O bólido é tido como especial para entusiastas devido ser o último carro da era commendatore, por ser rústico como um carro de corrida e homologado para andar nas ruas. O Ferrari F40 se torna, também, o carro de produção mais rápido do mundo, com 323 Km/h de velocidade máxima.

A Peugeot vence pela primeira vez o rali Paris-Dakar, seria a primeira das quatro vitórias consecutivas.

1988 – A British Leyland é privatizada, passando a estar sob comando da British Aerospace, tornando-se a Rover Group, 2 anos depois, os veículos vendidos sob a marca Austin se tornaram Rover ou MG;

A Suzuki lança o seu utilitário mais conhecido, o Vitara (Escudo no Japão), o veículo foi um sucesso devido as suas boas capacidades no fora de estrada e dimensões compactas.

Enzo Ferrari falece deixando a Ferrari e um legado.

1989 – A Ford compra a marca britânica Jaguar por 1,6 bilhão de libras.

A Mazda lança o MX-5 (Miata e Eunos foram seus nomes alguns países.), o carro era um esportivo de dois lugares e claramente focado no prazer de dirigir, possui chassi espinha dorsal e motor 4 cilindro DOHC de 1.600 e mais tarde 1.800 cm3. O Mazda Miata é um exemplo de esportivo bem sucedido e longevo, permaneceu original até 1997, quando foi restilizado. Além disso, foi um carro que vendeu vários países.

A Toyota inicia um nova empreitada com sua divisão de luxo Lexus, nos EUA.

1990 – A Volkswagen compra a marca espanhola Seat.

A Audi conquista o título do ano no DTM com o Audi V8.

A Mazda lança a quarta geração do Eunos Cosmo, que ficou no mercado até 1996, mas sua contribuição para história, é o fato de ter sido primeiro carro equipado com sistema de navegação por GPS.

1991 – A Chrysler Motor Corporation lança seu primeiro superesportivo, o Dodge Viper, com motor V10.

A Suzuki lança o roadster Cappuccino, um carro esporte que seguia a regulamentação Kei Jidosha, tinha motor turbo de 657 cm3 e tração traseia. O simpático carro permaneceu no mercado até 1997.

1992 – O Jaguar XJ220 tornou-se o carro de produção mais rápido do mundo ao alcançar a marca de 340,8 Km/h (213 Milhas/h);

1993 – A Aston Martin lança o gran turismo DB7, o carro teve 5.000 unidades produzidas até o ano de 2001;

1994 – O compacto urbano Smart chegava as concessionárias. Embora com nome próprio, a marca pertence ao grupo Mercedes-Benz.

A Audi lança o sedã grande A8, seu principal atributo era ser fabricado inteiramente em alumínio.

1996 – A Renault, após um longo período de dificuldades financeiras (desde a década de 80), foi privatizada.

A Audi, com o A4, ajuda Frank Biela a vencer o British Touring Car Champioship – BTCC.

A Audi lança o hatch A3.

A Porsche lança o roadster Boxter, este diferenciava-se dos carros tradicionais da marca por ter motor central, ao invés de traseiro como no 911.

A Ferrari contrata para a equipe de Fórmula 1, Michael Schumacher e Ross Brawn, que junto com a Ferrari iniciariam um processo de retorno da equipa as vitórias.

Mercedes-Benz A-Klass.

1997 – A Mercedes-Benz colocou a venda o compacto A-Class, com o intuíto de ser o Mercedes de entrada e mais acessível. O projeto não foi tão bem sucedido, mas ficou conhecido mesmo pela sua reprovação no teste do alce, realizado por uma revista especializada. O A-Class capotou com três jornalistas a bordo.

A Toyota inova lançado o Prius, nos EUA, o primeiro carro híbrido produzido em massa.

Mclaren F1.

1998 – A Cadillac lançava seu primeiro SUV, o Cadillac Escalade. O veículo foi um sucesso e representou o renascimento da marca, que a anos estava defasada em relação as demais marcas de carros luxuosos;

A Volkswagen comprou as marcas Rolls Royce e Bentley do grupo Vickers. Entretanto, a compra envolvia tudo menos o direito do nome Rolls Royce, ainda pertecente a marca original, que atua no ramo aeromotivo. A BMW entrou na jogada comprando o direito do nome Rolls Royce por 40 milhões de Libras, e a Volkswagen se viu obrigada a abrir mão da Rolls Royce Motors, ficando porém, com a Bentley. Atualmente, a Rolls Royce continua com a BMW, bem como a Bentley continua com Volkswagen;

O grupo Daimler-Benz compra o Chrysler Motor Corporation, o grupo passou a se chamar, então, Daimler-Chrysler.

O Mclaren F1, impulsionado por um poderoso motor BMW 6.1L V12, tornou-se o carro de produção mais rápido do mundo ao quebrar o recorde de velocidade máxima, atingindo 386,4 Km/h (240,1 Milhas/h). Embora este recorde já tenha sido superado, o Mclaren F1 continua como o carro de produção com motor aspirado mais rápido do mundo.

A Alfa-Romeo lança o sedã médio 156, o carro tornou-se o carro do ano europeu e até hoje lembrado pela sua boa mecânica.

A Volkswagen lança o compacto Lupo, que mais tarde viria a ser equipado com motor diesel de 1,2l.

A Volkswagen lança o comentado New Beetle, a releitura do antigo Fusca buscava lembraças apenas no design, pois possuía motor dianteiro 2.0, tração dianteira e o principal, era um produto de nicho, completamente o contrário do Type 1.

A Audi lança o estiloso Audi TT, sob denominação de um estilo bauhaus.

A Audi compra a Lamborghini.

1999 – A Renault formou uma aliança com a japonesa Nissan e tornou-se majoritária da marca romena Dacia.

A Ford comprou a equipe de F1 Stewart, do tri-campeão mundial Jackie Stewart. A equipe foi renomeada para Jaguar, mas a aventura da Ford na F1 não foi bem sucedida.

SÉCULO XXI

2000 – A Ford sofre mais um novo recall, dessa vez em virtude de problemas com os pneus Firestone, que equipavam os modelos Ford Explorer.

A Audi vence, pela primeira vez, as 24 Horas de Le Mans, na categoria máxima com o Audi R8.

A Suzuki em parceria com GM produz o Wagon R na Hungria.

A Ferrari, juntamente com Michael Schumacher, conquistam seu primeiro título na Fórmula desde 1979. A equipe composta liderada por Ross Brawn, Jean Todt e Michael Schumacher venceram juntos até 2004.

2001 – A Chevrolet assumiu o controle acionário da marca coreana Daewoo, o que permitiu a gigante americana a colocar sua marca em veículos compactos e baratos da Daewoo, e que eram exportados para diversos países.

A BMW, após comprar o grupo Rover, re-inventa a marca Mini, colocando no mercado os novos modelos do classico compacto Mini-Morris, porém sendo um veículo premium;

A Aston Martin lança o V12 Vanquish, que passa a ser o carro de James Bond no filme “007 Um Novo Dia Para Morrer”;

2002 – A Volkswagen lança seu sedã de luxo, o Phaenton, que podia ser equipado com motor W12 a gasolina ou V10 a diesel.

A Toyota inicia sua primeira temporada no Mundia de Fórmula 1.

A Porsche inova lançando o primeir utilitário esportivo da marca, o Cayenne. O SUV tornou-se, mais tarde, o carro mais vendido da marca.

A Ferrari lança seu mais novo supercarro, o Enzo Ferrari. O carro era equipado com tradicional motor V12 capaz de levar o veículo aos 360 Km/h.

2003 – A produção do Fusca é encerrada em definitivo, no México. O compacto Volkswagen então, saía do mercado para entrar na história. Enquanto isso, o cambio de dupla embreagem DSG, entra no mercado.
O VW Sedan despedia-se do mercado para entrar para a história com 21 milhões de unidades fabricadas.

2006 – A BMW compra a equipe suiça Sauber estabelecendo sua equipe da fábrica no mundial de Fómula 1. A equipa da marca alemã disputou o certame de 2006 a 2009.

A Audi vence as 24 Horas de Le Mans novamente, porém, sendo a primeira vitória de carro com motor a diesel da história da competição. O Audi R10 TDI possuia um motor V12 de 5.499 cm3 e dois turbocompressores.

2007 – A Cerberus Capital Management compra Chrysler do grupo Daimler-Chrysler, a Chrysler então, passou a ser de uma empresa de capital de risco;

A Ford vende a Aston Martin para um consórcio do Kuwait, a empreitada foi liderada por David Richard, fundado da equipe Prodrive, que prepara carros para ralis e outras competições.

2008 – A beira da falência, a Chevrolet sofreu uma intervenção do governo dos EUA, que tomou o controle acionário da empresa.

A Ford vende a Jaguar e Land Rover ao grupo indiano Tata por 1,15 bilhões de libras. Estas, atualmente, continuam sob comando do grupo Tata.

Tata Nano.

2009 – O grupo Fiat compra a Chrysler;

A Aston Martin cria uma Joint-Venture juntamente com a Toyota, e desta é lançado o compacto urbano Cygnet;

A Peugeot vence as 24 Horas de Le Mans com o protótipo 908 HDI FAP, a vitória representou o fim da hegemonia da Audi na competição.

A Toyota sofre um recall de 8 milhões de carros devido a problemas com o pedal do acelerador eletrônico. O custo do recall estima-se que foi em torno de 1,93 bilhão de dólares.

A Porsche lança o Panamera, um carro de carroceria cupê, mas com quatro portas, sendo um veículo claramente de luxo.

A Volkswagen adquire 20% de participação da Suzuki Motor Co.

O conglomerado indiano Tata, lança o compacto popular Tata Nano, que vinha com a dura missão de afastar o povo indiano das motocicletas. O Nano foi o carro mais barato do mundo, custando apenas 100 mil rupias (cerca de U$1.500).

2010 – A Aston Martin lança o modelo Raptide, que impressionou por ser um dos poucos modelos com 4 portas;

2011 – Porsche e Volkswagen se fundem, anos depois da investida da Porsche em comprar a marca compatriota.

Insert math as
Block
Inline
Additional settings
Formula color
Text color
#333333
Type math using LaTeX
Preview
\({}\)
Nothing to preview
Insert