Planejamento de produto e esclarecimentos de tarefas – Parte 4

A próxima parte do esclarecimento do produto e da tarefa é o início da parte técnica e de engenharia do problema. No início, quando existe uma ideia de produto, esta é avaliada e considerada segundo alguns critérios aproximados.

Selecionando ideias de produtos

FIGURA 2

Os objetivos da empresa são o primeiro passo (Figura 2). Nesta parte o projetista segue basicamente as determinações da empresa. Isto significa que o designer deve ter uma ideia muito clara do objetivo final. Para isso existem alguns caracteres. A Figura 3 ilustra um gráfico que contém uma lista de requisitos e variantes.

FIGURA 3

Esses aspectos são correlacionados por meio de uma lógica binária, portanto soluções positivas e negativas. Existem alguns casos que requerem uma investigação mais profunda. É uma maneira fácil de realizar uma primeira avaliação aproximada. Além disso, este gráfico permanece como parte do projeto, que poderá ser utilizado posteriormente para verificar se as avaliações iniciais estavam corretas em relação à expectativa final do novo produto. Portanto, pode ser utilizado como forma de controlar o que está sendo feito no projeto.

Definição do produto

FIGURA 4

A próxima parte do planejamento do produto é a definição do produto, onde as ideias são melhor elaboradas a partir de mais detalhes e dos requisitos do produto. Assim, a primeira seleção foi muito difícil, agora há aspectos relativos não só à empresa, mas também à força da equipe, ao mercado e às fontes externas. A Figura 5 também ilustra uma sugestão de algum viés para esses detalhes.

FIGURA 5

Eles podem ser usados para criar um gráfico de avaliação mais complexo. Às vezes a solução final deste processo é um esboço (Figura 5) da visualização da ideia. Porém, este não é um documento com informações detalhadas sobre a solução.

FIGURA 6

Na verdade, é mais um ponto inicial do futuro produto. Normalmente, uma boa habilidade em fazer esse tipo de esboço é útil para um engenheiro de projeto. O resultado desta parte é a proposta do produto. Este documento contém alguns pontos que devem ser detalhados. Em algumas literaturas [1,2], a proposta do produto também é chamada de declaração de missão do produto. Possui diversos formulários e templates para descrever a proposta do produto. Porém, o que é realmente importante é a quantidade de informações contabilizadas neste documento. Normalmente, isso é composto por:

  • A descrição das funções pretendidas que o produto deverá desempenhar;
  • A lista dos requisitos preliminares para identificar alguns pontos que devem ser alcançados nos aspectos técnicos e econômicos;
  • A indicação de uma meta de custo ou orçamento para esclarecer o volume de produção do produto;
  • A extensão da gama de produtos, que é definida se o produto é uma nova versão, uma gama do produto e se é necessário contactar um novo fornecedor;
  • O início dos prazos, que define o tempo investido no desenvolvimento do produto.
FIGURA 7

A Figura 7 ilustra um exemplo de proposta de produto. e a equipe durante o desenvolvimento da proposta do produto. São o que, como e quem da equipe faz isso e que valor a equipe está agregando. Basicamente, estas são questões para identificar:

  • O alvo;
  • A abordagem técnica básica utilizada para encontrar a solução;
  • O foco nos usuários e nos clientes;
  • Os valores e os benefícios das declarações de missão.

Na verdade, a proposta do produto é apenas o primeiro passo de engenharia no design do produto. Além disso, não é uma atividade única, mas sim um processo iterativo. A equipe de design deve construí-lo da melhor maneira possível.

Referências

  1. K.T. Ulrich, S.D. Eppinger, Product Design and development, Mcgraw-Hill, 2019;
  2. G. Pahl, W. Beitz, J. Feldhusen, K.H. Grote. Engineering Design – A Systematic Approach. Springer, 2007.